segunda-feira, 5 de agosto de 2013

"Rainha Tempestade"

Continuando no campo do Amor/Paixão, deixo-vos um poema que me ocorreu durante um passeio no Jardim Botânico do Porto (local a visitar, se tiverem oportunidade). "Rainha Tempestade" é o seu nome, que acham:

Chegou a Tempestade
Poderosa e caótica
Tudo se verga à sua passagem
À passagem desta violenta Tempestade

A Tempestade ruge como um nobre leão
Soa altiva e dominadora,
Ciente do seu poder
Nada pode bloquear este dilúvio de sonoridade

Com a Tempestade chega a chuva
Imensa, intensa, a bela água cristalina
Forma uma torrente invencível
Que a tudo subjuga

A Tempestade é rainha
Tudo domina, absoluta e incontestável
Ela habita no meu coração
E seu nome é Paixão!


Sempre vosso,
Luís

8 comentários:

  1. Poeta é mesmo assim!!! Vê poesia em tudo... Ate em uma tempestade...
    Bravo!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado :) É umas coisas que eu gosto mais em escrever poemas, abre-nos os olhos e permite-nos ver que tudo possui poesia. Só precisamos de saber transcrever essa poesia em palavras ;)

      Eliminar
  2. A paixão arrasa o coração como uma tempestade.Linda de mais!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Arrasa o coração, a alma, os pensamentos. Somos meras marionetas felizes nas "mãos" da paixão ;)

      Eliminar
  3. Muito bom. Agradeço o comentário no meu blog.Sim quando estamos inspirados as coisas fluem bem melhor. Diria que a noite é uma ótima conselheira.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. De nada, penso que uma bela poesia merece ser comentada. Humm, essa é uma maneira de dizeres que preferes escrever à noite, ou que gostas de deixar os teus escritos "marinar" durante a noite? ;)

      Eliminar